Veja as tendências do mercado imobiliário de Brasília para 2019!

Um novo cenário com tendências positivas do mercado imobiliário se aproxima em Brasília. Alguns fatores prometem aquecer mais o mercado que já demonstrou que está se fortalecendo em 2018. Indicadores mostram que é possível investir em diferentes regiões administrativas.

De acordo com o empresário Wildemir Demartini, o mercado imobiliário do Distrito Federal superou a fase mais difícil da crise. Ele afirma que o momento é interessante para se planejar e buscar mais informações sobre os empreendimentos imobiliários. Baixa da inflação, geração de empregos, maior oferta e SELIC reduzida são alguns indicadores positivos para o setor.

Leia mais e veja as tendências do mercado imobiliário da capital e regiões circunvizinhas.

Qual o panorama encontrado?

Desde 2017, o setor imobiliário apresenta uma boa recuperação, contudo, em 2018 ela se mostrou mais sensível a partir do segundo semestre. Em Agosto deste ano, o aumento no Índice de Velocidade de Vendas (IVV) de imóveis na planta na capital foi de 40% em relação a maio de 2018.

Os imóveis de alto padrão são os que apresentam maior número de lançamentos. De acordo com dados da Abrainc (Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias), os lançamentos destinados ao público de alta renda cresceram mais que o dobro do que o registrado pela média nacional. Enquanto o alto padrão de Brasília registrou um aumento de 69,6%, o mercado nacional foi de 27,1% positivo.

Quais tendências do mercado imobiliário para os próximos anos?

Vamos às tendências, levando em conta as condições para o mercado e as regiões com maior número de oportunidades.

Facilidade para o crédito imobiliário

A taxa SELIC—Sistema Especial de Liquidação e de Custódia, é o principal indicativo utilizado nas operações de crédito. Nos últimos meses, o governo adotou medidas para reduzir a taxa, que também influencia diretamente sobre a oferta do crédito imobiliário. Assim, o consumidor tem mais possibilidades de financiamento a juros menores.

O mercado fica mais aquecido com a taxa de juros menor. Em 2018, a SELIC chegou a 6,5% e, segundo perspectivas do Banco Central (Relatório Focus), deve se manter nessa faixa em 2019, tendo em vista que a economia se mostra fortalecida. Assim, atrai investidores e otimismo para os brasileiros financiarem.

Queda na inflação

Na última semana de 2018, o Banco Central reduziu as previsões de 3,71% para 3,69% para a inflação. Para 2019, esse percentual deve cair mais ou se manter abaixo dos 4%. Isso é ótimo para o mercado imobiliário, uma vez que o indicativo mina a confiança do consumidor quando está elevado.

O aumento do percentual da inflação, visto nos últimos anos no país, foi um dos responsáveis pela redução na venda de imóveis, que estava superaquecido em até meados de 2014. As perspectivas do BC criam uma atmosfera positiva para a economia, em especial da construção civil. Com mais investidores e clientes em potencial, as construtoras buscam lançar novos empreendimentos imobiliários não só em Brasília, mas em todo o país.

Melhores condições para o comprador

Quanto mais ofertas no mercado, menores são os preços praticados e melhores são as condições para o comprador. Em Brasília, especificamente, as incorporadoras oferecem condições que reduzem os custos dos compradores. É comum que elas disponibilizem ITBI e/ ou escritura grátis.

O ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis) é uma alíquota cobrada pela prefeitura; como em Brasília não tem prefeitura, é cobrada pelo poder público. Geralmente, ela é paga pelo comprador; contudo o governo reduz esse percentual ou isenta a construtora, que repassa ao consumidor. Atualmente, esse percentual gira em torno de 2% a 3%, mas pode ser reduzido ainda mais se o pagamento for realizado antes de lavrar a escritura ou assinar o contrato de financiamento.

Maior confiança do consumidor

Apesar de ter sido um ano difícil para o brasileiro, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) apresentou seu maior valor desde 2015. De acordo com a Fundação Getúlio Vargas, o ICC avançou 0,6 ponto e chegou a 77 pontos em dezembro de 2018. Entre os motivos está resultado da taxa SELIC abaixo dos 7%. Assim, mais pessoas buscam alternativas mais viáveis e seguras para investir, como commodities e imóveis.

A taxa está associada ao aumento do poder de compra e favorece o acesso ao financiamento imobiliário. Como consequência, há uma sensível mudança no comportamento do consumidor, que passa a falar menos de crise e mais de oportunidades, a exemplo da casa própria.

Regiões administrativas valorizadas

E, como maior oferta significa melhores condições, é importante conhecer as regiões administrativas que despertam mais atenção de investidores. O Setor Noroeste e áreas contempladas à Rodovia 140 estão entre os focos da expansão para os próximos anos, embora haja oportunidades em outras áreas.

Para 2019, é esperado o lançamento de, pelo menos, mais três edifícios residenciais no Noroeste, além de empreendimentos comerciais para atender a sua população de 14 mil habitantes.

Quanto aos arredores da DF-140, são 48 projetos imobiliários em análise pelo poder público, dos quais 15 já foram aprovados. Vale ressaltar que 35% dos terrenos da localidade são de propriedade da Terracap (empresa governamental) e o restante da área foi comercializada.

Águas Claras, que já foi o maior polo imobiliário do Centro-Oeste, também deve apresentar novos empreendimentos. A cidade-satélite conta com muitos empreendimentos de 1 a 4 e diferentes faixas de preço. Outras regiões que se manterão em alta nos próximos anos são Ceilândia, Samambaia, Guará, Gama e Planaltina.

Imóveis com muitos atrativos

As construtoras estão sempre avaliando as tendências do mercado. Entre elas está a construção e entrega de edifícios com muitos atrativos, como piscina, espaço gourmet, sauna, salão de beleza, entre outros adicionais que agregam valor ao empreendimento. Além deles, as empresas estão mais preocupadas em trazer mais segurança e praticidade aos moradores.

Por que é importante que o consumidor pesquise bem?

O consumidor deve avaliar as melhores condições e tendências do mercado imobiliário. Para isso, é preciso pesquisar pelas melhores imobiliárias, construtoras e incorporadoras. Verifique a reputação em Brasília, quais empreendimentos já entregaram e o que os outros consumidores dizem a seu respeito. Dessa forma, você aproveita as melhores oportunidades e não se arrepende da compra.

Surgiu alguma dúvida? Entre em contato conosco e veja como é possível investir bem em Brasília, com segurança e boa rentabilidade.

Escreva um comentário